Ir para o Conteúdo

Maria Amália Vaz de Carvalho

Tiago Nené vence prémio literário

10.03.2017

Tiago Nené, com a obra Este obscuro objecto do desejo, é o vencedor da 12.ª edição do Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho – modalidade de poesia.

Tiago Nené vence 12.ª edição do Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho

 

O prémio, no valor de três mil euros, patrocinado pela EGEO – Tecnologia e Ambiente SA, será entregue no dia 21 de março de 2017 – Dia Mundial da Poesia – na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, em Sacavém, às 21 horas.

O Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho pretende homenagear a memória da escritora e ativista que muito contribuiu para a dinâmica cultural do concelho. Tem como objetivo incentivar a produção literária em língua portuguesa, premiando obras inéditas de autores, nas suas diversas modalidades.

O júri desta edição foi composto por José Correia Tavares, representante da Associação Portuguesa de Escritores, Isabel Mendes Ferreira e Margarida Vale de Gato.

 

Sobre o autor

Tiago Nené nasceu em Tavira em 29 de Março de 1982 e reside em Faro.

Publicou Versos Nus, em setembro de 2007 (ed. Magna). Editou em Espanha, com edição bilingue, o livro Polishop (Colecção Palavra Ibérica - ed. Punta Umbría), e, em 2012, Relevo Móbil Num Coração de Tempo (ed: Lua de Marfim). Publicou, ainda, em 2011, sob pseudónimo Sylvia Beirute, o livro Uma Prática para Desconserto (ed: 4águas).

Recebeu uma menção honrosa no Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres, em 2013, com o livro ainda inédito Nuvem com Superfície variável.

Traduziu para português os livros: O Sítio Justo, de Rafael Camarasa, Agência do Medo, de Santiago Aguaded Landero, Decantação, de Aida Monteón, Na barca Lusitana (antologia de poesia de Porto Rico) e Ninho, de Jaime Romero Ruiz de Castro.

Desenvolveu atividades na promoção da poesia do Algarve e pequenos cursos de escrita. Tem escrito em diversas publicações, como a revista Minguante, o Jornal Mundo Universitário, Revista Big Ode, Revista Inútil, Piolho, Sulscrito, entre outras. Fundou com Fernando Esteves Pinto a associação cultural Linguagem de Cálculo e participou no Sulscrito. Fundou o Texto-al, com Luís Ene e Carlos Campaniço.

Participou, como autor convidado, em encontros e conferências de escritores como o Palavra Ibérica (Punta Umbría) e Correntes d’Escritas (Póvoa de Varzim).

Está representado em diversas antologias de poesia, com destaque para Os Dias do Amor - Um Poema Para Cada Dia do Ano (Ministério dos Livros, 2009); 100 Poemas Para Albano Martins (Labirinto, 2012), Algarve - 12 Poetas a Sul do Século XXI (Livros Capital, 2012) e Meditações sobre o Fim (Hariemuj 2012).

É licenciado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa (Lisboa) e é advogado em Faro.

 


Imprimir Enviar a um amigo Endereço direto da página Imagem separadora