Sítio CM Loures

Ir para o Conteúdo

Antetítulo não preenchido

Projetos cofinanciados


Orquestras Sinfónicas Juvenis

projetos

 

Designação da Operação: Orquestras Sinfónicas Juvenis

 

Código da Operação: Lisboa-01-0527-FEDER-000214

 

Data de Início da Operação: 2009/06/06

 

Data de Conclusão da Operação: 2012/12/31

 

Custo Total: 775,704.37€

 

Investimento Elegível: 775,704.37€

 

Taxa de Cofinanciamento: 40.00%

 

Comparticipação (FEDER): 310,281.75€

 

Breve descrição:

O Projeto "Orquestras Sinfónicas Juvenis" que mais tarde veio a adquirir a identidade “Orquestra Geração” visou a inserção de crianças e jovens com dificuldades de integração social e educativa, provenientes de bairros sociais problemáticos. Este projeto inspirado no Sistema Nacional das Orquestras Juvenis e Infantis da Venezuela, tem na Orquestra Sinfónica Simão Bolivar o seu expoente máximo de qualidade, dirigida por grandes sumidades do mundo da música, e que há mais de 38 anos integra nos seus agrupamentos (mais de 200 orquestras juvenis locais) crianças e jovens provenientes de bairros problemáticos, com problemas de insucesso e abandono escolar, e com dificuldades de integração social. Este projeto constitui um caso de sucesso pelo seu contributo inovador para a inserção e desenvolvimento de crianças e jovens provenientes de meios sociais mais desfavorecidos.
 

Teve por objetivos: 
- Promover a inclusão social das crianças e jovens de bairros problemáticos; 
- Combater o abandono e o insucesso escolar; 
- Promover o trabalho de grupo, a disciplina e a responsabilidade para uma melhor cidadania; 
- Promover a autoestima das crianças e das suas famílias; 

- Aproximar os pais do processo educativo dos filhos;
- Contribuir para a construção de projetos de vida dos mais novos; 
- Ter acesso a uma formação musical que seria impossível para a maioria das crianças e jovens que vivem em contextos de exclusão social e urbana.
 

Assim, esta  operação que se consistiu num programa de orquestra para jovens do ensino regular, implementado em escolas com altas taxas de abandono escolar, numa população escolar com problemas relacionados com dificuldades sócio- económicas e muti-culturais, foi desenvolvida pelos municípios de  Loures, Sintra, Sesimbra, Amadora, Oeiras, Vila Franca de Xira e Área Metropolitana de Lisboa. No concelho de Loures foi implementada na EBI Apelação, cujos alunos residem no Bairro da Quinta da Fonte, na antiga Freguesia da Apelação.
 

Durante a referida operação participaram uma média de 50 alunos do 1º e 2º ciclo.
 

A responsabilidade pedagógica e artística do projeto esteve a cargo da Associação dos Amigos da Escola de Música do Conservatório Nacional, parceiro fundamental neste processo.

 

Financiamento

Requalificação do Monumento aos Combatentes da Grande Guerra 1914/1918

Monumento aos Combatentes da Grande Guerra

 

Operação aprovada em Regime de Aprovação Condicionada – Overbooking – PORLisboa, QREN 2007-2013

 

Designação da Operação: Requalificação do Monumento aos Combatentes da Grande Guerra 1914/1918

 

Código da Operação: Lisboa-02-0741-FEDER-001115

 

Data de Início da Operação: 2014/06/13

 

Data de Conclusão da Operação: 2014/12/27

 

Custo Total: 16,623.17€

 

Investimento Elegível: 16,623.17€

 

Taxa de Cofinanciamento: 65%

 

Comparticipação (FEDER): 10,805.06€

 

Breve descrição:

O projeto de Requalificação do Monumento aos Combatentes da Grande Guerra 1914/1918 consiste na requalificação do monumento aos Combatentes da Grande Guerra 1914/1918, situado na Praça da Liberdade, Loures. Erigido e inaugurado em 1929, graças a subscrição pública e ao apoio da Comissão Administrativa, da Câmara Municipal, do Governo Civil e da então Comissão dos Padrões de Guerra, localiza-se no centro do jardim que ocupa a praça acima referida e constitui uma das referências da cidade de Loures.

As atividades de requalificação do monumento consistiram numa empreitada para execução de base em betão armado, aquisição de pedra ruivina amaciada e restauração do monumento com recurso a técnicas de restauro especializadas. Esta obra de requalificação e qualificação urbana contribuiu para toda uma valorização do património histórico e cultural de forma sustentada, local, regional e nacional.

 

Financiamento

Museu do Vinho e da Vinha – Bucelas

Museu da Vinha e do Vinho

 

Operação aprovada em Regime de Aprovação Condicionada – Overbooking – PORLisboa, QREN 2007-2013

 

Designação da Operação: Museu do Vinho e da Vinha – Bucelas

 

Código da Operação: LISBOA-02-0741-FEDER-001114

 

Data de Início da Operação: 2011/03/28

 

Data de Conclusão da Operação: 2014/12/23

 

Custo Total: 1,175,013.12€

 

Investimento Elegível: 1,175,013.12€

 

Taxa de Cofinanciamento: 65%

 

Comparticipação (FEDER): 763,758.53€

 

Breve descrição:

Inaugurado em 26 de julho de 2013, o Museu do Vinho e da Vinha – Bucelas corresponde a uma expetativa antiga da comunidade e a um projeto da autarquia com quase duas décadas de reflexão e maturação. A ideia de um Museu do Vinho em Bucelas estava há muito enraizada na vontade das gentes da terra que ao longo dos anos aguardavam a concretização dessa ambição. Bucelas, aqui entendida como toda a freguesia e não apenas como a vila propriamente dita, é berço de uma comunidade zelosa da sua identidade e da sua herança, com um orgulho muito próprio no seu vinho branco de centenária região demarcada.

As atividades desenvolvidas consistiram na reabilitação de todo um edificado, através de uma empreitada de construção do Museu, de aquisição de serviços de coordenação de segurança e de assistência técnica à obra, e de aquisição e montagem de equipamento.

Assim, no edifício cuja história está intimamente relacionada com a tradição vitivinícola local, o museu apresenta dois espaços expositivos distintos, a saber: uma área de exposição de longa duração, onde o visitante fica a conhecer as principais fases de trabalho da vinha e os meios tradicionais de produção e um mezanino reservado para exposições temporárias cujo teor se desenvolve sempre em torno da temática do vinho.

O percurso expositivo dispõe de painéis em braille e maquetes e o documentário, que constitui um dos núcleos da exposição de longa duração, tem tradução em Língua Gestual Portuguesa. Face ao exposto esta intervenção de reabilitação e qualificação urbana contribui para toda uma valorização territorial, assente no princípio da qualidade ambiental e de vida das populações, sendo um elemento potenciador de toda uma dinâmica de desenvolvimento económico e social territorial, com efeitos locais e regionais.

 

Financiamento

Escola Básica do Alto da Eira – Reabilitação do edifício

Projetos Cofinanciados

 

Designação do Projeto: Escola Básica do Alto da Eira – Reabilitação do edifício

 

Código do Projeto: LISBOA-07-5673-FEDER-000006

 

Objetivo Principal: Elevar a qualificação dos jovens e dos adultos, reforçando a qualidade da educação e formação

 

Região de intervenção: Lisboa

 

Entidade Beneficiária: Câmara Municipal de Loures

 

Data de aprovação: 30-11-2016

 

Data de início: 26-11-2015

 

Data de conclusão: 28-02-2017

 

Custo total Elegível: 753.017,56 €

 

Apoio Financeiro da União Europeia: 376.508,78 €

 

Apoio financeiro Público Nacional: 376.508,78 €€

 

Breve descrição: 

A presente obra visa o aumento do espaço escolar nomeadamente do espaço de refeições e a remodelação e ampliação da cozinha, dando cumprimento à legislação em vigor. Garantindo uma melhor organização funcional dos espaços com a relocalização da biblioteca e das quatro salas de jardim-de-infância.

Pretende-se dotar o equipamento de novos espaços que permitam a prática de atividades de tempos livres, assim como criar melhores condições de trabalho para os professores e pessoal não docente. 

Em simultâneo, este equipamento terá melhores condições de conforto e salubridade, aumentando a sua eficiência energética e melhorando as suas condições acústicas.

Irá proceder-se ainda à remoção da cobertura de fibrocimento, o que que visa dar cumprimento à Lei nº 2/2011 de 9 de fevereiro, bem como se irá realizar a renovação das salas de aula, nomeadamente através da renovação da caixilharia, tetos e pavimentos e paredes.

De forma geral, todo o edifício irá beneficiar de uma arquitetura mais atualizada e em consonância com as atuais normas em vigor, proporcionando aos alunos um maior conforto, segurança e bem-estar que se pretende que venha a contribuir para um melhor desempenho escolar e pessoal.

 

Projetos Cofinanciados

 



Imprimir Enviar a um amigo Endereço direto da página Imagem separadora